Um terceiro mandato que não incomoda a Globo



Enquanto isso, aqui no Brasil, o provável terceiro mandato de Álvaro Uribe não desperta a repulsa dos articulistas das grandes redes e cadeias de televisão, jornais e rádios. Dois dias depois de anunciada a libertação de Bettancourt, o âncora do Jornal da Manhã da TV Globo Renato Machado afirmou: “Ingrid Bettancourt defende o terceiro mandato para Álvaro Uribe”. Não houve nenhum questionamento na Vênus Platinada. Uribe não foi classificado de ditador por Renato Machado, Miriam Leitão, William Waack ou qualquer outro pau mandado de Ali Kamel, diretor de Jornalismo da emissora. Quando se trata do presidente da Colômbia a informação recai com aura de legitimidade. Diferente do tratamento dispensado a Hugo Chávez quando assumiu seu terceiro mandato com o endosso das urnas, ou a Lula quando para este se levanta a hipótese, ainda que remota, de um terceiro mandato. A tese da alternância democrática da Rede Globo é seletiva e, sobretudo, comprometida com seus patrões norte-americanos. Não é de estranhar para uma emissora que apoiou o regime militar com todos os seus infortúnios.


Comentários

Sócrates Santana disse…
Ouvi cada palavra pronunciada pelo Renato Machado. Pensei que ninguém iria comentar sobre o assunto. Como sempre, Zeca, você surpreende. Muito boa, muito boa mesmo. O interessante é que o "desleixo" foi enunciado pelo jornal da Manhã. Enfim. Você pulou na frente novamente. Estava escrevendo um texto sobre o assunto, mas...que bom que já o fizestes...
genetica disse…
Terceiro mandato é golpe, a constituição não permite e o povo brasileiro já se posicionou contra isto, por mais que alguns formadores de opnião,notoriamente ligados ao PT e a CUT insistam em vender esta idéia ao Presidente.
Quanto ao Renato Machado eu concordo totalmente com você.

Postagens mais visitadas deste blog

Snowden. Ou o fim da utopia cibernética

Num dia de agosto de 1992

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?