Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2009

A resposta do presidente da UNE, Augusto Chagas, ao tratamento preconceituoso da grande mídia

Imagem
O tratamento dispensado por parte da chamada grande mídia às organizações do movimento social no Brasil sempre foi o da desqualificação, criminalização e combate aberto. Com a UNE a situação não é diferente, mas houve, no último período, uma elevação no tom maldoso e até inescrupuloso com o qual esses veículos têm tratado a entidade que representa os estudantes universitários brasileiros.
A UNE acaba de sair do seu 51º Congresso, um dos mais importantes e o mais representativo da sua história. Mais de 2.300 instituições de ensino superior elegeram representantes a este fórum, contabilizando as impressionantes marcas de 92% das instituições envolvidas, mais de 2 milhões de votos nas eleições de base e de 4 milhões e meio de universitários representados.
Nosso Congresso mobilizou estudantes de todo o país, que por cinco dias debateram o futuro do Brasil – a Popularização da Universidade, Reforma Política, Democratização da Mídia, Defesa do Pré-Sal, etc. Se a imprensa brasileira trabalhass…

A origem genética de ACM Neto

ACM Neto, o playboy moderninho, tenta se desvencilhar da herança fascista do avô, mas não esperem atitude diferente daquele deputado do DEM, que esconde verdadeiro ovo da serpente.

Dia do Rock, dia de contestação

Imagem
Na segunda-feira, 13, comemorou-se o Dia do Rock. Confesso uma certa nostalgia. Aos 13 anos, ainda ginasiano, fui à casa de um colega que sapecou a agulha da vitrola num long play. Uma guitarra vibrante e um refrão: “Whola lota love”. Paralisei. Ouvia pela primeira vez o som de uma das bandas mais emblemáticas do mundo rocker, o Led Zeppelin. Creio, um bom ponto de partida. Colecionei discos – os antigos bolachões – de várias bandas e passei a me interessar pelo gênero, não apenas musicalmente, mas por atitude. A guitarra de Jimi Hendrix, a voz de Janis Joplin e o gingado de Chuck Berry não eram apenas música; assim como o estridente sucesso dos Beatles e dos Rolling Stones. Algo maior estaria por detrás daquela engrenagem.
Indaga-se então a questão mais cara e grandiloquente àquela movimentação que vinha dos poros da juventude: é tudo alienação? Simples produtos da indústria cultural? Não se pode negar a máquina do mercado fonográfico como principal constructo planetário desse gênero…

Nos tienen miedo porque no tenemos miedo (canción)

Cenas que a mídia do Brasil não apresenta; um belo canto de libelo contra o golpe militar que está oprimindo o povo hondurenho.

FISL 8.0: Celepar entrevista Sérgio Amadeu

O cientista político Sérgio Amadeu fala sobre a luta política pelo software livre na sociedade da informação. Trata-se de um grande pesquisador do tema. Aproveitem a entrevista.

Charge do dia

Imagem

Lula ganha prêmio da ONU; Rede Globo silencia

Imagem
Qual seria o posicionamento de uma grande emissora de televisão se o presidente do seu país ganhasse um prêmio dado pela ONU? Quem deve responder esta pergunta é a Rede Globo por não ter feito a devida cobertura de um fato que engrandece o Brasil. O presidente Lula recebeu nesta quarta-feira o Prêmio Félix Houphouët-Boigny, da Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura). De acordo com os jurados, a escolha de Lula foi feita por causa das "ações que o presidente está tomando na promoção da paz, do diálogo, da democracia e justiça social e também pela contribuição de Lula à erradicação da pobreza e de proteção dos direitos das minorias". Quem ganha este prêmio tem 30% de chance de ser contemplado com o Prêmio Nobel. Para Ali Kamel, diretor de Jornalismo da Rede Globo, este fato não tem critério de noticiabilidade; o mesmo deve pensar Dora Kramer, Miriam Leitão e Cia. O Partido da Imprensa Golpista prefere se calar a se render aos fatos. Que midiazin…

Argumento de gorila

Imagem

Que prêmio é esse, Serra?

Um dia depois do presidente Lula ganhar um prêmio da ONU, a mídia Força Serra Presidente arrumou um prêmio de araque para o governador de São Paulo. Veja aqui.

A barrigada

Imagem
Um colunista baiano com certo nome na praça se assanhou ante a “notícia” veiculada na Folha de São Paulo de que a ministra Dilma Roussef teria mentido ao sustentar no seu currículo o curso de mestrado e um doutorado inconcluso. A ministra é economista formada pela UFRG, mestre em Teoria Econômica pela Universidade de Campinas, sim, e estava fazendo doutorado em Economia Monetária pela mesma instituição, mas não concluiu a tese, fato que ela não nega e que já foi amplamente noticiado – veja aqui. O interessante é que o nobre escriba, no afã de antecipar sua campanha pró-Serra, terminou se esquecendo de dar uma notícia com fundamento, a de que José Serra não tem diploma de economista – veja aqui. O garboso jornalista ensaiou um comentário “supimba” em seu site, com direito a foto de braços cruzados como se desafiasse o mundo. E deu em barrigada. Que feio!

Honduras: o porque do golpe

por Nikolas Kozloff, em Counterpunch

Tradução: Caia Fittipaldi

Que forças sociais e políticas escondem-se no coração do golpe de domingo passado em Honduras? Comecemos por examinar o papel de Roberto Micheletti, o homem que Hugo Chávez adora odiar. Ex-presidente do Congresso Nacional, Micheletti, no domingo, autodeclarou-se novo presidente de Honduras. Substituiu o presidente Manuel Zelaya, político que, nos últimos anos, moveu-se claramente em direção a posições políticas e econômicas mais progressistas. Membro do Partido Liberal de Zelaya, Micheletti é graduado em administração de negócios nos EUA e trabalhou como presidentemda empresa estatal de telecomunicações de Honduras, Hondutel, no final da década dos 90s. Enquanto esteve na presidência da Hondutel, Micheletti empenhou-se muito para privatizar a empresa.
Crente fiel das chamadas "reformas neoliberais", Micheletti entrou em rota de colizão com o governo Zelaya que chegou ao poder no início de 2006. Depois de deixar a pr…

Blog da Petrobras faz estrago no Globo e na Folha

Matérias veiculadas nestes dois jornais deram enfoque interessado com o claro intuito de atacar a imagem da maior estatal brasileira. A Petrobrás, mediante a atuação do seu blog, Petrobras - Fatos e Dados, esclareu as informações que foram distorcidas e editadas conforme os interesses dos Frias e dos Marinhos.

Ordem era para matar Zelaya

O presidente constitucional de Honduras, Manuel Zelaya, que foi deposto do poder há cerca de 10 dias, afirmou que existia um plano para assassiná-lo. De acordo com Zelaya, o plano lhe foi confessado pelo general Romeo Vásquez. De última hora, o general lhe disse que os golpistas optaram por transferí-lo para a Costa Rica. Segundo informou o presidente deposto, quem está por detrás do golpe e se encarregou de encomendar sua morte “é uma elite muito voraz, com muito controle no Congresso Nacional”, afirmou. Concluindo, Zelaya acrescentou “que se trata de um grupo economicamente abonado e que se opõe a qualquer mudança que contrarie seus interesses”. O presidente hondurenho afirmou que continuará orientando a população do seu país para que resista pacificamente ao golpe.

* A informação foi prestada pelo jornalista Ricardo Meira, que se encontra em Honduras como correspondente independente.

Presidente Manuel Zelaya retorna hoje a Honduras

Imagem
Milhares de pessoas marcharam ontem, em Tegucicalpa, capital de Honduras, para apoiar o presidente deposto Manuel Zelaya. Ele desembarcará hoje no país acompanhando de vários líderes de estado do continente. O clima é tenso na capital hondurenha.

Pouco se informa acerca do golpe militar em Honduras

Imagem
Os fantasmas voltaram. O golpe militar ocorrido em Honduras no último domingo (28), que depôs o presidente Manoel Zelaya, retoma um espectro tenebroso no continente latino-americano, que durante décadas registrou quarteladas patrocinadas por elites econômicas locais em associação com interesses estadunidenses. As últimas informações dão conta do agravamento da situação. O governo golpista instaurou o estado de sítio no país. Depois de anunciar que estenderia o toque de recolher até a sexta-feira, o ilegítimo presidente Roberto Micheletti decidiu ir mais longe e propôs ao Congresso a supressão de liberdades individuais. As medidas estabelecem que as pessoas possam ser detidas pelas Forças Armadas e pela polícia sem acusação formal por mais de 24 horas. Os direitos de manifestação, inviolabilidade de domicílio, de reunião, associação e liberdade de circulação estão suprimidos. O golpe está sendo repudiado por unanimidade pelos países-membros da Organização dos Estados Americanos (OEA); …