Honoráveis sabujos. Quais as relações de ACM e Aleluia com a Embaixada dos EUA? O País quer saber

O falecido ex-senador Antônio Carlos Magalhães e o candidato derrotado ao Senado nas últimas eleições, o ex-deputado federal José Carlos Aleluia, ambos do DEM da Bahia, foram, até o momento, os dois últimos personagens brasileiros a figurarem no WikiLeaks. O site do jornalista australiano Julian Assange informa que os políticos baianos tiveram encontros com um representante da embaixada dos EUA à época da campanha à Presidência de 2006. 
Segundo nota veiculada pelo jornalista Levi Vasconcelos no jornal A Tarde, na conversa com o diplomata Aleluia se mostrou frustrado com a iminente vitória de Lula naquele ano, enquanto que ACM previa dificuldades para o presidente porque ele teria minoria no Senado.
Mais: no diálogo, ACM disse ao norte-americano que “a oposição pode ter perdido uma oportunidade de impeachmar Lula em seu primeiro mandato, mas tentará no segundo”. A prestação de contas dos dois udenistas ao funcionário dos EUA não revela nada de extraordinário, mas confirma a inclinação golpista de ambos. Registre-se que ACM foi ativo colaborador do Golpe de 1964 e um dos principais políticos de sustentação do regime; enquanto que Aleluia sempre foi ardoroso defensor de teses privatizantes e neoliberais. 
Em diversas oportunidades o ex-presidente Lula declarou que entre os anos de 2004 e 2005 pressentiu a proximidade de um golpe de estado. Ele falava a verdade. A crise do mensalão seria a brecha que ACM e cia utilizariam para destituir o então presidente. 
A pergunta: quem garante que o Departamento de Estado dos EUA não tivesse monitorando tais movimentações? Claro, esta é uma hipótese e sua confirmação depende de investigações mais consistentes. No entanto, a possibilidade de “tentar no segundo (mandato)” o impechament do presidente revela um ACM disposto a desestabilizar as instituições políticas para apear Lula do poder. Verifica-se um ACM idêntico ao que conspirou com a quartelada de primeiro de abril de 1964. 
Já Aleluia, é razoável pensar como integrante da entourage golpista. Estas informações vazadas pelo WikiLeaks não devem passar despercebidas. É importante que se esclareça até onde se estendiam as relações de ACM e Aleluia com a diplomacia norte-americana  e qual o nível de sabujice de ambos na conspirata de interesses contrários aos do país.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Snowden. Ou o fim da utopia cibernética

Num dia de agosto de 1992

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?