De Salvador à Praça Tahir; o jornalista baiano que esteve presente na Revolução do Egito

Em janeiro deste ano o produtor de vídeo, jornalista e cineasta baiano José Carlos Torres esteve na Cidade do Cairo, no Egito, onde acompanhou o levante popular que depôs o ditador Hosni Mubarak do poder. Torres é um cidadão do mundo e pratica um jornalismo independente. Antes, ele já tinha ido à India e ao Tibet, locais onde vivenciou experiências existenciais relatadas num livro-reportagem ainda a ser publicado. Nesta última viagem, o senso de repórter falou mais alto, o que o fez se deslocar da Itália para o olho do furacão, na Praça Tahir. A revolução egípcia foi o primeiro grande movimento de massas do século XXI. Durante aproximadamente uma semana, Torres conviveu com os cidadãos daquele país e procurou ouvir suas inquietações, angústias e esperanças. No decorrer da sua estadia no Cairo, o jornalista se colocou à disposição de uma emissora de televisão baiana para passar informações sobre as manifestações. Ele não cobrou nada por isso e mesmo assim, e para sua surpresa, foi ignorado solenemente. Talvez este canal de TV tenha se contentado em apenas servir de base reprodutora para sua cabeça de rede, que fica no Rio de Janeiro. No entanto, perdeu a oportunidade de ouvir preciosos relatos do único baiano que vivenciou aquele grande movimento político, de caráter popular, que durante dias foi alvo da atenção mundial. No nosso entendimento, sobrou soberba e faltou senso jornalístico à referida emissora, a qual ele dá o nome no decorrer desta entrevista dada com exclusividade ao blog Textos ao Vento. Assistam o vídeo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Snowden. Ou o fim da utopia cibernética

Num dia de agosto de 1992

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?