Libelo juvenil em cena. Eduktors retorna a Salvador em novembro



Em tempos de Black Blok, Marcha das Vadias, Fora do Eixo, Mídia Ninja e outras hashtags da rede, a versão inédita para o teatro do longa “Edukators”, de Hans Weingartner, contextualiza com o momento que o Brasil e o mundo vivenciam. Dirigido por João Fonseca com dramaturgia de Rafael Gomes, o espetáculo tem no elenco Edmilson Barros, Fabrício Belsoff, Natália Lage e Pablo Sanábio.
Em Salvador, a peça foi exibida nos dias 10 e 11 de agosto no Teatro Sesc, Casa do Comércio. Segundo a produtora Marlucia Sie, o espetáculo retorna à capital baiana em novembro para circuitos em colégios e faculdades. 
Numa Alemanha sob a égide do neoliberalismo, três jovens de Berlim buscam transformar o mundo invadindo mansões como atos-símbolos de protesto contra o sistema capitalista. Uma dessas invasões ocorre na residência de um arquimilionário, que passa a ser refém dos “educadores”.
É o momento que a história ganha destino surpreendente, expondo fraquezas, contradições e revelações dos quatro personagens. O roteiro não chega a ser o mesmo do filme. É uma adaptação, mas mantêm o argumento central do longa, indicado à Palma de Ouro em Cannes em 2004.
Eduktors é catarse de libelos juvenis liquidificados. Espécie de síntese das experiências libertárias egressas dos 60. Contestações e até mesmo conformações com a realidade sufocante.
Ambientada em arranjos de cenários simples, a peça tem elenco à altura para interpretar o texto de Weingartner. Os jovens atores Fabrício Belsoff e Pablo Sanábio respondem satisfatoriamente às contracenas com os experientes Natália Lage e Edmilson Barros. O grupo dá conta do recado. 
Rodrigo Penna, criador da seleção musical e trilha original, veste a caráter as cenas num espectro que vai de Sinatra, passando por Bob Dylan à música eletrônica do Chemical Brothers.
Quanto ao retorno da peça, Marlucia adianta que trabalhará com duas empresas da capital baiana para viabilizar as apresentações. A ideia é excelente e já passa do momento de ofertar um cardápio cultural mais inteligente aos teens da Soterópolis. Que venha Eduktors, mais uma vez.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Num dia de agosto de 1992

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?

O monge beatnik. As alegrias e os dramas de Belchior