Um desabafo, um grito de socorro

O documentário A Morte Inventada, uma realização da Caraminhola Produções, é um grito de alerta ante a surdez da sociedade para um problema que tem dilacerado relações entre pais separados e filhos, a alienação parental. E o pior, com a anuência de boa parte do Poder Judiciário e operadores jurídicos. O filme traz depoimentos de pessoas, entre elas vários adolescentes, que simplesmente perderam o contato com seus pais após processos de separações e divórcios. No intuito de se vingar dos ex-parceiros, mães e familiares passam a alienar a figura paterna, que vai gradativamente desaparecendo da existencia das crianças, que, indefesas, tornam-se vítimas desse crime horrorendo. Crime cometido com o beneplácito de alguns juízes e juízas das varas de família. Um problema que é fruto do mar profundo da alienção e da desinformação de um Judiciário caduco e retrógado, operado, em boa medida, pela insensibilidade de magistrados que deveriam se envergonhar da própria toga. Quem quiser conhecer melhor o trabalho pode acessar o belo - e triste - site www.amorteinventada.com.br .

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Snowden. Ou o fim da utopia cibernética

kristallnacht à brasileira?

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?