A arte de encantar o incauto




Com o título de “Conexão Bahia Século XXI”, o publicitário, compositor, dublê de apresentador, humorista e arquimilionário Nizan Guanaes conseguiu reunir ampla platéia no Teatro Castro Alves para falar coisas desconexas e receber aplausos. Interessante. Para o gênio da criação publicitária, a solução para os problemas sócio-econômicos do Estado está na reimplantação dos bondes em Salvador, concursos de recitagens de poesias de Castro Alves, apresentações de música clássica, estádio de futebol na orla de Água de Meninos, entre outras idéias “criativas”. Sugere o publicitário que Salvador se transforme até em “capital nacional de eventos”. E ele exemplifica: “Porque não trazer um congresso internacional de odontologia para cá? Nós somos a terra do sorriso”. Bom lembrar ao nosso gênio que os baianos riem mesmo, até da própria miséria, mas a maioria sem os dentes na boca. O “grande” evento, recheado de peças publicitárias, foi fechado com uma ode à Bahia e aos seus filhos ilustres, com direito até à música-homenagem ao centenário de Dona Canô. Detalhe: para ouvir essas soluções “extraordinárias” o espectador pagou de R$60 a R$100. É a própria arte de encantar o encauto. Haja criatividade!

Comentários

Guigo F.G. disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Guigo F.G. disse…
Zeca, foi proposital ou a palavra seria INcauto?
Fora isso, só bobo para ir.
Jafar disse…
Todos sabemos que publicitários não são exemplo de seriedade pra ninguém. Eu é que não iria pra um evento desses. Ah, Zeca, olha que distração interessante: http://blogdojefferson.com/index.aspx#
Anônimo disse…
Consertou o título, agora conserta o corpo do texto...
Zeca disse…
Anônimo,

Percebestes, mas não entendestes. Encauto é neologismo, encantamento com o inusitado. Não o criei, nem inaugurei, claro. O usei, mas não prossegui porque poucos entendiam a provocação, inclusive você, caro Anônimo. Portanto, inacuto volta. Mas quanto a arrumar o corpo do texto, em que sentido? Ou você também se mostrou "encauto" com as palavras do mago Nizan?
Anônimo disse…
Êpa! Que conste que o anônimo acima não sou eu, o anônimo "da Vale"!!
kkkkkkkkkkkkkkkk

Nem comentei aqui, talvez por concordar com o Zeca! (acontece...)

Nizan é um bom - e sortudo - publicitário, só isso.
Guigo F.G. disse…
Certo Zeca, valeu!
Não tinha conhecimento deste neologismo, mas desconfiei que poderia ser proposital.

Quanto aos anônimos... eles fazem isso por saber que você não deixa barato e responde mesmo. Ficam de pirraça. Pelo menos o "DA VALE" se esconde sobre esta alcunha.

Postagens mais visitadas deste blog

Snowden. Ou o fim da utopia cibernética

kristallnacht à brasileira?

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?