Gramsci, sempre atual


"São dias de publicidade para as assinaturas. Os gerentes e executivos da imprensa burguesa arrumam suas vitrines, passam uma mão de verniz sobre suas tabuletas e chamam a atenção dos passantes (isto é, dos leitores) sobre a sua mercadoria. A mercadoria é aquela folha – de quatro ou seis páginas – que toda manhã, ou toda tarde, vai injetar no espírito do leitor os modos de sentir e de julgar os fatos da atualidade política que melhor convém aos produtores e vendedores de papel impresso". Do filósofo Antonio Gramsci se referindo à imprensa burguesa, em 1916

Comentários

Emmeline Oliveira disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Rodrigo disse…
Este comentário foi removido por um administrador do blog.

Postagens mais visitadas deste blog

Snowden. Ou o fim da utopia cibernética

kristallnacht à brasileira?

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?