Sarney, o "escalado" pela Globo para protestar contra Chávez




A família Marinho resolveu escalar José Sarney (PMDB-AP) para protestar contra a medida do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, em não renovar a concessão da rede de TV golpista RCTV. O senador e parceiro comercial da Globo questionou o conceito de democracia na Venezuela. Realmente, talvez não seja o mesmo conceito que o bigode do Maranhão alimentou durante anos como base parlamentar de apoio ao regime militar. O oligarca em decadência José Sarney parece que sofre de memória seletiva. Agora, transvertido de demiurgo da liberdade de imprensa, a mesma que ele ajudou a calar durante os anos de chumbo do regime militar, faz alarido contra o que ele chamou de “atentado à democracia” na Venezuela. E a quem sempre atentou contra a democracia, a Globo, Sarney tem contínua fidelidade canina.

Comentários

Lucas Gesteira Andrade disse…
Me permita repetir aqui Professor: Quarto e poder, sua arma? jogar com a informação... na hora certa, para a pessoa certa - no senado. "Aqui, são os oportunistas" correndo da vista da opinião pública, da palavra corrupto e também da palavra inresponsável, para ser mais realista diria que correm da(s) palavra(s) incompetência(s). O que temos com a Venezuela? a TV daqui se esconde num conforto do olimpus, das 17h às 22h30, atras da justificativa - que não cola mais – em favor da liberdade de imprensa, oh, liberdade de imprensa esteve sempre presente! Tanta moda boba na tv daqui, travestida de estética quando usam o closet intelectual. Alimentou a hegemonia televisiva, o conforto e as frustrações das pequenisses travestida de liberdade. Mais, a informação serve de ferramenta aos poderes invisíveis do espectro eletromagnético televisivo e outros, então temos uma lástima. Um atraso e uma desinformação que gera uma "cabeça de porco" ainda maior, acontecendo aqui. Uma crise da educação, mascarada pelos resquícios da politicagem aristocrática, na cara tapada dos estudantes e discentes que não vem, cegos do par-ti-do. Calam-se, enlaçados pelos interesses do ego, um pão recheado de dinheiro oferecido pelo amigo algoz oportunista de plantão. Diria Silvio Santos – quem quer dinheiro – e fazem papel de ridículos na frente da televisão. Segue os movimentos daqui, calados com o pequeno pão a sua pequenita demanda. Que vergonha

Postagens mais visitadas deste blog

Snowden. Ou o fim da utopia cibernética

Num dia de agosto de 1992

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?