Bem vindo ao deserto do real!

Pérolas da mídia(ocridade) baiana. Na coluna desse sábado - 24/11 - do articulista Samuel Celestino sobrou choros e lamentos quanto à situação do ex-presidente da Assembléia Legislativa da Bahia e atual presidente do Tribunal de Contas do Estado, Antônio Honorato, que foi detido pela Polícia Federal na Operação Jaleco Branco e prestará depoimentos em Brasília na sede do órgão. Celestino afirma no início do comentário: “Trata-se de uma coerção humilhante”. No fim da coluna, ele concluiu: “Mas, seguramente, é no mínimo uma extravagância constrangedora a repetição de excessos, como o uso de algemas. Pode não ser ilegal, mas o uso deveria ficar restrito a bandidos que ofereçam perigo para policiais e para a sociedade. Ou não?”. Protestos também foram feitos pelo radialista Mário Kertész quanto ao título dado pela revista eletrônica Terra Magazine: “Operação Jaleco Branco da PF prende elite baiana”. Revoltado, Kertész esbravejou no microfone da sua emissora: “Qual elite? Não vi elite alguma ali!”. Um e outro destilaram sentimentos de classe. Dispensam-se teorias psico-sociológicas para explicar tais posturas. Tudo é muito claro. O que seria então uma ameaça à sociedade na interpretação samuelcelestiana? Quem é acusado de participar da cabeça de um esquema de corrupção que, segundo se noticia, lesou os cofres públicos em quase 1 bi não é uma ameaça à sociedade? Ou não? Aliás, realmente, entre os detidos não se encontra nenhum membro da elite baiana. Creio que Bob Fernandez esteja enganado (corrija-se, Bob!). Eram homens do povo, ladrões de galinha e batedores de carteira, desses que cumprem sentença de vida enquanto a de morte não chega. Na verdade, a PF deteve “proletários” que andam de carros importados e residem nos melhores endereços da Soterópolis. E o dinheiro que as autoridades policiais e os procuradores do Ministério Público Estadual e Federal acusam ter sido surrupiado por eles certamente deixou de ser utilizado para construir escolas, postos de saúde, casas populares, redes de esgoto etc. Não, de forma alguma eles representam ameaça à sociedade. Ou não, Celestino? No país das duas medidas, a Justiça não pode ser única e sim seletiva. Para uns, o limbo das delegacias e o lodo das páginas policiais. Para outros, as colunas sociais e políticas, onde sempre são bem tratados. Como diria Slavoj Zizek: “Bem vindo ao deserto do real”.

Comentários

Anônimo disse…
Pois nada mais justo do que ressarcir a população. Afinal, é um prejuizo de quase 1 bilhão e para onde foi este dinheiro?
Que confisquem os bens destes ladrões . Se comprovado a origem da corrupção, seja quem for o responsável, omissor ou não, ele também deve relembrar do espírito da lei.

Lucas
Anônimo disse…
Bem vindo ao deserto da realidade.
http://br.youtube.com/watch?v=SBtKAlfo0bo

Postagens mais visitadas deste blog

Snowden. Ou o fim da utopia cibernética

Num dia de agosto de 1992

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?