Semana de luta na América do Sul


A imagem diz tudo. Manifestantes enfrentam policiais em Bogotá, Colômbia, em protesto contra a visita do presidente norte-americano George W. Bush. Derrotado nas últimas eleições nos EUA, onde o Partido Democrata fez maioria no Congresso, Bush Jr. vê-se agora envolto na tentativa de conter o crescimento da esquerda na América do Sul buscando isolar o presidente da Venezuela Hugo Chavez. O Senhor da Guerra afina as garras da águia para retomar a hegemonia no continente.

Comentários

MuriloAlves disse…
A imagem reflete as ações de Bu$h Jr. durante o tempo em que está no comando dos Estados Unidos até então. Uma sucessão de atitudes impensadas que gerou uma série de calamidades em todo o mundo. Ontem, tive acesso a Revista Época para assinantes, que deverá chegar as bancas amanhã, dia 12. Na publicação, cogita-se a hipótese de terroristas de ascendência árabe que, residentes nas fronteiras de Brasil, Argentina e Paraguai (Tríplice Fronteira), estariam articulando uma série de negociatas com o Partido Hezbolláh (Partido de Deus), no Líbano, como por exemplo, contribuições financeiras para o grupo extremista por meio de falsificação de dólares, tráfico de drogas e outros meios ilícitos.
Há uma lista, professor, de emigrantes árabes que trabalham e moram em Ciudad del Leste, feita pelo governo norte-americano e sua "inteligência" tidos como suspeitos de envolvimento com o terrorismo.
Como de costume, não há prova nenhuma contra o comerciante Chamas e outros supostos envolvidos, que estão proibidos de pisar em solo norte-americano. O dono da galeria Pagé, por exemplo, tido pelos EUA como maior suspeito, faz questão de conversar com Época e, inclusive, posar para fotos, com a maior calma do mundo. Chamas pergunta, irônico: "Vocês acham que o Hezbolláh precisa de dinheiro de comerciantes paraguaios?" Onde estão as armas químicas do Iraque e Irã?
Alena disse…
Toda forma de poder ainda é uma forma de morrer por nada?
Panis disse…
É, engraçado ler o seu blog e parecer estar ouvindo um cd da Legião Urbana. "Mais do Mesmo", "O senhor da guerra" entre outras, são a trilha sonora. Agora: "uma guerra sempre avança a tecnologia, mesmo sendo guerra santa, quente, morna ou fria. Pra que exportar comida se as armas dão mais lucro na exportação."

Postagens mais visitadas deste blog

Num dia de agosto de 1992

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?

O monge beatnik. As alegrias e os dramas de Belchior