Medidas proativas na Venezuela

Por ordem do presidente venezuelano, Hugo Chávez, o governo nacional tomou medida preventiva de ocupação temporária de várias indústrias produtoras de arroz no país, ante o desvio do produto para outros fins, deixando de lado os preços regulados, o que obrigava o consumidor a pagar preços mais altos.
A decisão de ocupação das fábricas de arroz foi tomada por Chávez no último dia 28 de fevereiro. O presidente venezuelano acusou as empresas de boicotar a cadeia de fornecimentos ao recusarem-se a produzir arroz – uma das principais produções agrícolas venezuelanas – aos preços definidos pelo Executivo.
Segundo o Ministério da Agricultura, as empresas passaram a produzir apenas variedades de arroz não-tabeladas para ter mais lucro. A medida de intervenção das fábricas de arroz tem como objetivo garantir a todos os venezuelanos a disponibilidade de arroz branco no mercado nacional, de acordo com o vice-ministro de Economia Agrícola, Richard Canán.
Canán explicou que uma das fábricas de arroz ocupadas já no dia 28, a da Alimentos Polar, localizada em Calabozo, estado Guárico, estava processando menos de 50% de sua produção sem nenhuma explicação a respeito. Conforme o presidente da Associação de Produtores de Arroz em Calabozo, Víctor Cortéz, existe matéria-prima suficiente para se processar o arroz regulado na região.

Segurança de Estado

“Se alguma indústria deseja atropelar os consumidores a fim de obter maiores dividendos, nós vamos intervir. Para o governo, o acesso aos alimentos é um tema de segurança de Estado”, disse nesta terça-feira(03) o superintendente Nacional de Silos, Armazéns e Depósitos Agrícolas (SADA), Carlos Osorio Zambrano.
Osorio assinalou que a partir desse objetivo, o governo Bolivariano aprovou uma resolução que pretende que as empresas cumpram com os níveis de produção de alimentos regulados.
O superintendente explicou que esta resolução que se coordenou com todas as plantas processadoras de alimentos, “não é uma resolução arbitrária, é uma decisão coordenada com os ministérios do Poder Popular para a Alimentação e da Saúde, produto das irregularidades que viemos observando desde o ano passado”.
Segundo ele, o Executivo conta com o Sistema Integral de Controle Agroalimentário em toda a produção e distribuição de alimentos, para garantir o máximo de felicidade possível à população venezuelana.
Osorio também ressaltou que "não se descartam outras intervenções de empresas, já que devemos proteger a população". (Reproduzido da Agência Brasil de Fato)

Comentários

Zeca,

coloca um banner da campanha do ato em repúdio ao Gilmar Mendes. Você pode pegar o código html na página do Movimento dos Sem-mídia (http://semmidia.webng.com/). Eu já aderi a campanha. Você adciona um elemento de página HTML, copia o código e cola no espaço.

Fica a sugestão para outros blogueiros que frequentarem este post.

Abraço!

Postagens mais visitadas deste blog

Snowden. Ou o fim da utopia cibernética

Num dia de agosto de 1992

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?