Quero ser excomungado!




Não sou católico, ainda que na primeira infância a violência simbólica do batismo tenha me afetado. Foi só um rito de passagem, apenas. Mas já que “oficialmente” a Igreja Católica me considera integrante do seu rebanho, aproveito o gancho para pedir publicamente minha excomunhão. Sim, quero ser excomungado pela Igreja. O pomo da discórdia foi a ordem dada pelo arcebispo de Olinda e Recife, dom José Cardoso Sobrinho, de excomungar os médicos e parentes da menina de 9 anos que teve que se submeter a um aborto devido ao estupro realizado pelo padrasto. Meu hipocritômetro atingiu o limite. Talvez a Igreja tenha achado que a violência cometida contra a criança não fosse grave. Dá pra entender: para uma instituição que acolhe milhares de pedófilos, uma criança a mais ultrajada e violentada pode não ser nada mesmo. A Igreja não estava se importando com o risco que a menina corria, até mesmo de morte, já que ela não tem estrutura física para conceber uma criança. Na opinião do arcebispo, "a lei de Deus está acima de qualquer lei humana. Então, quando uma lei humana, quer dizer, uma lei promulgada pelos legisladores humanos, é contrária à lei de Deus, essa lei humana não tem nenhum valor". Dom Cardoso não tem filhos, mas poderia se colocar no lugar de quem tem. Mas não, preferiu ser hipócrita. Sério, gostaria de saber em que momento Deus credenciou um bando de psicopatas sociais para lhe representar. Repito, exijo minha excomunhão, e quero que seja um processo célere. Rápido como aqueles casos de heresia que eles julgavam nos tribunais inquisitoriais e remetiam os réus às suas santas fogueiras. Desejo que esse apelo chegue aos ouvidos do bispo Primaz do Brasil ou mesmo do Vaticano. A partir de agora estarei esperando o ato, o ato da minha excomunhão. Prometo fazer uma festa, convidando Baco e Dionísio para celebrar esse momento solene em minha vida, meu desligamento total dessa peste que se instalou na face da Terra denominada Igreja Católica.

Comentários

vinialves disse…
Peste mesmo. Pois como uma estrutura que praticou a "Santa" Inquisição, como uma instituição que tem em seu histórico a Noite de São Bartolomeu, ainda tem cara de pau de hoje querer dizer como a sociedade deve se comportar... é muita: cara de pau. rsrs
Eles precisam de um Deus pra serem bons... nós não!
Abraço
Vinícius Alves
Anônimo disse…
Sabe, também sou desse tipo de católico mencionado no iníco do texto, mas apesar de não concordar com uma infinidade de dogmas do cristianismo, principalmente da ICAR (Igreja Católica Apostólica Romana) não condeno o Bispo.

A ICAR possue regulamentos,normas que, sem entrar no merito, devem ser obedecidos por seus seguidores e praticantes. É assim em qualquer seita ou organização, sejam religiosas, profissionais, politicas ou sociais. É o código de ética de cada um. Quem não concordar, resta a opção de sair, mudar.

Nesse caso especifico, sem levar em consideração a criança envolvida, só o ato em si, o bispo não tinha outra alternativa. Ceder seria contrariar séculos de tradições.

O povo aproveitaria a brecha e viraria uma bagunça generalizada, tudo que lhes foi ensinado em séculos cairia por terra. Seria qase igual aceitar o casamento de Jesus com Madalena.

Que a ICAR precisa se atualizar e se adaptar aos novos tempos, não resta duvida; mas a coisa não é tão simples assim.

Há que se realizar um concilio analisar os fatos e reeducar o povo e o povo tem uma mania de distorcer tudo.

Aparecido
Acho que teremos de abrir uma lista de assinaturas para os muitos outros que desejam ser excomungados pela Igreja Católica.

Ateu, graças a Deus!
Zeca Peixoto disse…
Caros, e em particular o Aparecido,

Gostaria de saber a que "povo" vc se refere que presumivelmente " proveitaria a brecha e viraria uma bagunça generalizada, tudo que lhes foi ensinado em séculos cairia por terra". É uma piada? Qual outorga a ICAR tem para controlar "o povo"? E o que seria a "bagunça generalizada"? Olha, eu particularmente quero que vá às favas a ICAR e todos os séculos de ensinamento que essa nefasta instituição legou.
italo disse…
depois desse texto, com certeza vc vai ser excomungado!
religião é uma desgraça mesmo
Tarini disse…
Eu também quero ser excomungada! Alias, eu me auto declaro excomungada, se eles podem eu também posso.
Postador disse…
Zeca, Excelente texto.

Faço coro pedindo a minha excomunhão imediata.
Deprimente a maneira que a igreja católica(a ausência de maiúsculas é proposital) trata uma brutalidade com a simplicade das regras e simplesmente julga de maneira estéril um caso de brutalidade assustadora.

Pior ainda é ver gente vindo, ante esse ato de barbárie, comungar com o protocolo da igreja católica achando que um caso como esse deve ser tratado mais com a burocracia eclesiástica do que com a emoção e a razão humana.

Afinal de contas, somos primordialmente católicos ou humanos?

A propósito, aqui é seu ex-aluno Ângelo Pinheiro. Aproveita e dá uma passadinha no meu blog recém-criado.
Jamerson Silva. disse…
E aí grnde Zeca, tudo bem?
Lí seu texto e depois recebi esse cordel e não podia deixar de te enviar.

Grande abraço!

Cordel dos Excomungados



Peço à musa do improviso

Que me dê inspiração,

Ciência e sabedoria,

Inteligência e razão,

Peço que Deus que me proteja

Para falar de uma igreja

Que comete aberração.



II

Pelas fogueiras que arderam

No tempo da Inquisição,

Pelas mulheres queimadas

Sem apelo ou compaixão,

Pensava que o Vaticano

Tinha mudado de plano,

Abolido a excomunhão.



III

Mas o bispo Dom José,

Um homem conservador,

Tratou com impiedade

A vítima de um estuprador,

Massacrada e abusada,

Sofrida e violentada,

Sem futuro e sem amor.



IV

Depois que houve o estupro,

A menina engravidou.

Ela só tem nove anos,

A Justiça autorizou

Que a criança abortasse

Antes que a vida brotasse

Um fruto do desamor.



V

O aborto, já previsto

Na nossa legislação,

Teve o apoio declarado

Do ministro Temporão,

Que é médico bom e zeloso,

E mostrou ser corajoso

Ao enfrentar a questão.



VI

Além de excomungar

O ministro Temporão,

Dom José excomungou

Da menina, sem razão,

A mãe, a vó e a tia

E se brincar puniria

Até a quarta geração.



VII

É esquisito que a igreja,

Que tanto prega o perdão,

Resolva excomungar médicos

Que cumpriram sua missão

E num beco sem saída

Livraram uma pobre vida

Do fel da desilusão.



VIII

Mas o mundo está virado

E cheio de desatinos:

Missa virou presepada,

Tem dança até do pepino,

Padre que usa bermuda,

Deixando mulher buchuda

E bolindo com os meninos.



IX

Milhões morrendo de Aids:

É grande a devastação,

Mas a igreja acha bom

Furunfar sem proteção

E o padre prega na missa

Que camisinha na lingüiça

É uma coisa do Cão.



X

E esta quem me contou

Foi Lima do Camarão:

Dom José excomungou

A equipe de plantão,

A família da menina

E o ministro Temporão,

Mas para o estuprador,

Que por certo perdoou,

O arcebispo reservou

A vaga de sacristão.





Autor: Miguezim de Princesa - Poeta popular,

paraibano radicado em Brasília.

Postagens mais visitadas deste blog

Snowden. Ou o fim da utopia cibernética

Num dia de agosto de 1992

Fé e ciência. O que Buda e Cristo têm em comum?